As mudanças na nossa cozinha

A cozinha foi um dos sítios que, inicialmente, mereceu mais tempo para organizar e também que investimos mais. O normal era comprar no supermercado e ficar na prateleira a embalagem até utilizarmos tudo, e só depois é que colocávamos a embalagem a reciclar. O que fazia com que os nossos armários tivessem cheios de plástico. 

Qual é foi o investimento inicial? Frascos de vidro, e depois com o tempo fomos também reutilizando algumas embalagens de plástico para armazenar, dando assim um segundo propósito. 

Habituámo-nos a evitar as embalagens de plástico, e a nossa opção recaiu sobre comprar a granel: a loja que mais recorremos é a Maria Granel (@mariagranel.lx), tudo o que encomendamos vem embalado em sacos de papel. Em sacos de papel porque não vivemos em Lisboa, logo encomendamos online. 

O que faço aos sacos de papel? Reutilizo-os quantas vezes necessárias, principalmente para a fruta e só depois de alguns rasgões é que vai para a reciclagem (atenção que se contiver algum tipo de gordura já não pode ser reciclado). Costumo, também utilizar para fazer divisões no frigorífico, assim fica por legume ou fruta e é só espreitar e tirar, facilita também na limpeza do frigorífico pois a terra fica dentro dos sacos. Usamos também estes sacos para as compras de supermercado, assim a fruta já fica separada por cada saco e facilita a pesagem na caixa.

Quando não vamos ao supermercado, falamos com a Courela dos Pegos (@coureladospegosbio), pedimos o que nos faz falta e vem tudo dentro de uma caixa de cartão que depois devolvemos, mas eles também têm cabazes ao qual podem subscrever! Normalmente, tudo o que eles dão para embalar eu devolvo, junto também com o nosso composto de cada semana.

O facto é que, quanto menos uso dermos aos sacos e de tudo o que infelizmente vai parar aos oceanos, menos irá continuamente afetar. Esta é opção que encontrámos para não fazer parte do loop. Mas teremos de começar a ponderar a longo-termo, se queremos ter um oceano para mergulhar, uma praia com areia para sentirmos na palma dos nossos pés, sem que estes não estejam rodeados de lixo.

A opção mais clara para o problema em questão, será sempre reutilizar o que já temos, evitando fazer a compra de mais. Este trabalho tem de ser feito por todos nós começando por responsavelmente fazer a divisão correta dos lixos. Não se esqueçam que tudo começa com uma redução significativa na quantidade de lixo que produzimos. 

O importante é continuar a reter informação e continuar no caminho sustentável, e acredito que vão achar tão maravilhoso quanto eu, não visitar o lixo tantas vezes quantas o normal. A partir daí, é reduzir ainda mais.

Shop now

You can use this element to add a quote, content...